Nemoblog

O QUE É ESTIMULAÇÃO TRANSCRANIANA POR CORRENTE CONTÍNUA (ETCC)?

O QUE É ETCC?
A Estimulação Transcraniana por Corrente Contínua (ETCC) é um tratamento avançado de neuromodulação aplicado para modificar a excitabilidade cerebral, de forma segura e não invasiva. Na ETCC uma fraca corrente elétrica direta é aplicada na superfície do crânio por dois eletrôdos (cátodo e ânodo) gerando uma pequena corrente galvânica, que altera a atividade elétrica cerebral da área trabalhada, aumentando ou diminuindo a excitabilidade cortical.

COMO FUNCIONA?


ETCC1 
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 PRECISA DE ANESTESIA?

Não. A criança fica acordada e não precisa de anestesia. 

OUTROS PAÍSES USAM  A ETCC ?

O tratamento com Estimulação Transcraniana por Corrente Contínua (ETCC) é muito usado em países como  Alemanha, Espanha e Estados Unidos e ajuda pacientes que sobrem de distúrbios e doenças neuropsiquiátricas como depressão, perda de memória, déficit de atenção e hiperatividade, AVC, dependência química, dor crônica, fibromialgia, enxaqueca e zumbido.  

O QUE ESPERAMOS COM O ESTUDO?

Esperamos melhorar as respostas linguísticas relacionadas principalmente aos mecanismos de leitura através da estimulação de áreas cerebrais com baixa atividade envolvidas no processo de leitura. Os estudos na área cognitiva demonstram recuperação principalmente nas funções de linguagem e memória, demonstrado resulta­dos positivos na modulação da atividade cerebral. Esses resultados sugerem um caminho para a reabilitação destas funções e principalmente a possibilidade do aprimoramento das tarefas de leitura nas crianças e jovens com dislexia. 

QUAL A VANTAGEM DE PARTICIPAR DO ESTUDO?

  • É um método praticamente isento de efeitos colaterais
  • Tratamento seguro, não invasivo e não requer anestesia
  • É indolor
  • È uma técnica não medicamentosa
  • Tem sido verificada uma resposta rápida ao tratamento

 

EFEITOS ADVERSOS

Os estudos realizados até o momento demonstrando que a ETCC é bem segura. Os efeitos colaterais se restringem a dor de cabeça leve e transitória, sensação de irritação transitória e leve na pele no local da aplicação dos eletrodos. Outros efeitos colaterais menos comuns incluem náusea, dificuldade de concentração e vertigem. 

QUEM PODE PARTICIPAR DO ESTUDO?

Poderão participar crianças e jovens com idade entre 8 e 17 anos de ambos os sexos com diagnóstico neurológico de dislexia residentes em Salvador-Ba, contudo é importante que  sejam destros, alfabetizados e estarem frequentando a escola regular.

 O QUE É DISLEXIA?

A dislexia é uma dificuldade de aprendizagem de origem neurológica, caracterizada por problemas na leitura de palavras. Quando a criança lê, ela pode não entender bem os códigos da escrita.

PORQUE AS CRIANÇAS COM DISLEXIA TEM DIFICULDADE DE LEITURA E ESCRITA?

As crianças pequenas começam lendo palavras inteiras pelo relacionamento visual, então elas precisam aprender como as letras na palavras impressas representam os sons das palavras faladas.Isso requer consciência fonológica que é a habilidade de prestar atenção consciente aos sons da fala. As crianças com dislexia, frequentemente continuam a confiar em um vocabulário de reconhecimento visual na leitura.Apresentam portanto, dificuldade em entender as correspondências entre letra e som.

EXISTEM OUTROS SINTOMAS?

Sim, existem. As crianças e jovens com dislexia podem apresentar atraso na aquisição da linguagem oral e escrita; déficits na coordenação motora, destreza e estabilidade postural; orientação temporal, habilidades visuo-espaciais e déficit de atenção.

QUANDO A DISLEXIA COMEÇA A SE MANIFESTAR?

A maior parte das crianças com dislexia são encaminhadas quando não conseguem  aprender a ler. Assim, se torna perceptível no início da alfabetização, quando a criança apresenta dificuldade na decodificação fono-grafêmica.

QUANTOS PESSOAS TEM DISLEXIA ATUALMENTE?

A dislexia tem uma prevalência nos EUA, e segundo o DSM-IV de 4% nas crianças com idade escolar. No entanto, conforme algumas investigações, percentagens entre 5 a 17,5% têm sido, igualmente, encontradas. No Brasil foi verificada a prevalência de 12,1% numa amostra de alunos do Ensino Fundamental de escolas particulares. 

A DISLEXIA É HEREDITÁRIA?

A história familiar é um dos mais importantes fatores de risco, sendo que 23 a 65% de crianças com dislexia apresentam pais também com alterações de leitura e escrita. A taxa entre irmãos é de aproximadamente 40%.

EXISTE TRATAMENTO?

Não existe cura e nem medicamento contudo, o atendimento interdisciplinar  buscando o treinamento das habilidades fonológicas tem um efeito benéfico sobre o desempenho da leitura e escrita.

E QUAIS SERÃO OS PROCEDIMENTOS DA PESQUISA?

Antes de iniciar o tratamento com a ETCC será necessário passar por uma triagem com neurologista .Em seguida os participantes passaram por 4 avaliações fonoaudiológicas e 10 sessões de eletroestimulação divididas em dois períodos de 5 sessões.Cada sessão tem uma duração de 30 minutos por dia.

QUEM APLICARÁ A ETCC?

A ETCC será aplicada por um técnico de nível superior com Curso teórico e Prático de Estimulação Cerebral não Invasiva. A área a ser ativada será avaliada e recomendada por um neurologista. 

QUEM ESTÁ REALIZANDO A PESQUISA?

A pesquisa Estimulação transcraniana por corrente contínua é parte de um projeto de mestrado da Fonoaudióloga Débora Rios sob a orientação da DrRita de Cássia Saldanha de Lucena na Universidade Federal da Bahia. 

COMO SE CADASTRAR?

Enviar para o e-mail dislexia.pesquisa@yahoo.com.br os seguintes dados:

  • Nome da criança
  • Nome dos pais
  • Idade da criança
  • Telefones para contato

Telefone para contato: (71) 86604408 .

images (20)

Anúncios
Deixe um comentário »